sábado, 31 de julho de 2010

Hoje, ouvindo a música "Perdendo dentes" do Pato Fu, parei para pensar. De vez em quando da vontade de tirar férias da vida. Ainda bem que as vezes aparece um ser do nada, que faz você mudar de ideia por alguns instantes, e mostra que você não está assim tão deslocado desse planeta. A pessoa de quem estou falando provavelmente vai ler isso e pensar que é dela que eu estou falando, pois então... pode ter certeza. Não vejo a hora de você ler o que eu te escrevi naquela carta.


Pouco adiantou
Acender cigarro
Falar palavrão
Perder a razão

Eu quis ser eu mesmo
Eu quis ser alguém
Mas sou como os outros
Que não são ninguém

Acho que eu fico mesmo diferente
Quando eu falo tudo o que penso realmente
Mostro a todo mundo que eu não sei quem sou
Eu uso as palavras de um perdedor

As brigas que ganhei
Nem um troféu
Como lembrança
Pra casa eu levei

As brigas que perdi
Estas sim
Eu nunca esqueci
Eu nunca esqueci



sexta-feira, 30 de julho de 2010

Sabe...

Na verdade nem foi tão legal, o por-do-sol não estava lindo, o que eu escrevi pra você a noite era mentira, eu nunca achei que você era a minha alma gêmea e nunca nem pensei em você antes de dormir, era só mais um cara sem rumo que eu resolvi tirar de vez do eixo. Eu fiz um drama gigante, confesso, falei sobre amores que não deram certo, fingi que meu coração precisava de reparos e todas essas coisas que as pessoas carentes dizem. Um mês depois, quando você desceu do carro e foi comprar a aliança eu olhei você de costas e fiquei com dó, vi como você pisava forte no chão, como estava feliz... Sabe, eu se fosse você me agradeceria por ter sumido, eu fiquei olhando a sua cara de desgosto quando viu que eu não estava no carro, quando ligou no meu celular e viu que eu tinha deixado no banco, ou pior... quando você começou a chorar lendo o bilhete, eu também chorei, mas logo passou. Eu falei que minha vida não era um livro aberto e que não abriria ela de jeito nenhum para você, e você não me deu ouvidos, lembra quando eu te disse que não adiantava você continuar fazendo aquela maldita faculdade de medicina? Que em escola nenhuma se aprende o que a vida ensina? Ficar trancado em uma sala, de jaleco e luvinha, ahh meu bem, que triste, não?
Onde eu nasci, as coisas não são assim, o que se aprende é esterilizar bisturi no isqueiro, lavar a mão com sabão de coco antes de "operações" e retirar rins comendo pizza. Claro que o pessoal ficou muito chateado quando eu falei que perdi você, um moleque com saúde de ferro, não bebia, não usava droga e fazia academia! Mas eu resolvi te dar uma chance, pequeno nerd, na próxima vez, não confie em qualquer um que te der carinho.
Na dança dos dias, quem manda somos nós!

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Não tem a mínima graça alguém sabe mais da sua vida do que você mesmo, fuçar teu nome na lista telefônica, no google, na barsa e no caralho a quatro. Saber do seu passado e achar que faz bem pra você isso, dizer coisas sobre você que nem você lembra. A minha vida é minha, odeio gente colada no meu pé, meu bem. Eu já aprendi uma coisa... quando você gosta de alguém é claro que da vontade de vigiar essa pessoa, ver o que ela faz, onde ela vai, com quem ela anda, as coisas que ela gosta e coisa e tal, mas você não precisa mostrar que sabe muita coisa sobre ela ou que passa horas pesquisando a vida alheia por ai. Eu já disse em outro post uma coisa sobre isso, que uma de mim já é demais, imagina duas, três, quatro! Me da uma pequena raivinha quando eu entro em qualquer site e tem lá a pessoa me seguindo, a pessoa gostando das mesmas coisas que eu, ou coisa que valha.
Eu pesquiso no google o nome das pessoas que eu gosto, até pra saber com quem eu ando, vai que é um fugitivo do FBI (brinks), mas não saio falando sobre o que eu vi/li, e quando a pessoa pergunta sobre algo que eu já vi, mas foi pouco divulgado por ela, eu minto e falo que nem vi, só pra fazer uma draminha, sabe? Tá certo que eu coloco o link das redes sociais que eu participo pra todo mundo ver, mas tudo tem limites, afinal, que graça tem eu ir contar de um post novo do blog se no mesmo tempo que eu atualizei ele a pessoa já estava lendo? Sabe?
Eu canso muito rápido das pessoas.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Me debrucei na janela, meus pés como sempre, ficaram apoiados apenas nos dedos, pensei comigo mesma, maldito 1 metro e meio. Aquela era como uma cena de filmes, as pessoas lá embaixo passavam alegres e cantando, o que me dividia delas era apenas uma grade, tecnicamente, isso sem contar o fato de que pessoas normais e bonitas tem mais amigos, mais sorrisos, mais auto-estima, e é por isso que eu estou aqui, pendurada em uma janela com grade, e ainda dou a culpa na coitada da grade, que não tem nada a ver com a história, ou talvez a culpa seja de eu viver culpando alguma coisas pelas minhas falhas, sem coração o suficiente para assumir que a culpa é minha, só minha.
Certa vez alguém me disse que gente feia só tem amigos feios, então eu me conformei, amigos lindos é o que não falta para mim, aliás, não tenho nenhum amigo feio, quem sabe isso não faça de mim a pessoa mais linda do mundo e coisa e tal. Olha eu, me distanciando do assunto.
Continuando... estava eu lá, debruçada na janela, olhando aquelas pessoas, pensando no meu tamanho, na cor do céu e em mais uma porção de coisinhas que seria impossível eu lembrar, ainda mais atualmente que ando com a cabeça mais cheia do que bexiga de festa de criança, prestes a estourar, minha vó dizia que o stress faz perder cabelos, quem sabe não seja por isso que meu cabelo fica todo na escova quando penteio ele, mas voltando ao assunto... Eu continuava lá, debruçada na janela, vendo os sorrisos, as caras, as bocas, as roupas, a vida e olhando mais um monte de coisas sem importância, tipo uma menina com uma roupa cortando o corpo de tão justa, talvez seja por isso que eu não sou feliz, vou começar a usar roupas cortando meu corpo, fumar aqueles cigarros fedidos e ir em balada pegar meninos suados, aposto que daqui... um mês ou uma semana eu vou estar lá em baixo rindo alto, tomando tubão, fuçando uma farinha e dando gargalhadas para o bairro inteiro ouvir, mas voltando ao assunto... Eu ia contar uma coisa muito importante, mas esqueci. E não era mentira.

segunda-feira, 26 de julho de 2010


Eu gosto muito de intervenções assim, com conteúdo. Podem falar que é feio, que é sujeira, que deixa a cidade feia, que é vandalismo e todas essas coisas de pessoas politicamente corretas, mas EU gosto e apóio!
Essa imagem é em São Paulo - SP e as frases são do Paulo Leminski.

sábado, 24 de julho de 2010

Quando falam de amor, a primeira coisa que vem na minha cabeça é relação homem/mulher, depois de alguns segundos pensando sobre o assunto me vem na cabeça as coisas que eu realmente amo. Hoje, andando na rua, ouvindo música e pensando, cheguei a conclusão de que uma força do além é que molda nosso pensamento para pensarmos de tal forma, ou apenas o meu pensamento, pois, aposto que o mundo não é repleto de sentimentais fracassados como eu. O amor vai bem além de qualquer coisa, eu encontro amor em pequenas coisas que para algumas pessoas podem ser maluquices, sei lá. É claro que eu não desprezo a relação a dois, gosto de estar com quem eu gosto, passar uma tarde de contos de fada, olhar fundo nos olhos da pessoa e ver que era realmente ali que ela queria estar, mas uma tarde com amigos também é uma coisa amável, sabe? Tem vezes que eu chego a não dar valor pra isso, e agora... como que em um estralo de dedos eu acordasse e falasse, "errrrr, se liga, guria!". É como dizem... você só percebe o valor da pessoa quando ela vai embora, quando eu fico sozinha logo começo a pensar nas tardes que eu ficava sem fazer nada com os amigos, coisas assim, e começa a perceber o que você ama de verdade. Eu imagino que eu sou uma das poucas tolas que ainda não se "tocou" disso, vejo pessoas que dão o máximo de valor pra qualquer coleguinha da escola, enquanto eu, mesmo com amizades de 10 anos por ai, não tenho a capacidade nem de demonstrar o valor que essas pessoas tem para mim. Fico injuriada, mesmo. Queria mostrar, mas não consigo, e essa é a pior parte, pois parece que fica alguma coisa engasgada, quando a pessoa te demonstra amor você se sente inútil e pensa que se começar a demonstrar algo parece ser do tipo para não ficar feio, como se fosse um sorriso amarelo quando ganha uma coisa que não gosta, se é que da para me entender.
Eu deveria processar melhor meus sentimentos, mas não tem jeito, meu ser é burro, só faz coisa errada, ama quem não merece, mas não deixa de amar quem merece, só não sabe demonstrar isso, é complicado e eu imagino que ninguém chegou até o fim desse post, mas não importa, pelo menos fica registrado "Dê valor pra quem você ama" quem sabe assim eu consiga lembrar disso por bastante tempo, se não der certo, eu vou escrever em um papel e colar na testa.

sem/con/teúdo

quarta-feira, 21 de julho de 2010

91 dias.

Olá, leitores.
Hoje... vim aqui esclarecer algo. Me perguntaram porque eu estou contando os dias no orkut, e eu achei bacana alguém ficar curioso com isso, vou esclarecer, até porque não é segredo pra ninguém.
Exatamente daqui 91 dias, ou seja, dia 20 de outubro, vai parar meu mundo. A banda mais esperada (por mim) vai vir para o Brasil, quem me conhece um pouco deve saber que estou falando do Green day. Podem pensar "Que tosco", "Era só isso?" ou "Aff", eu não me importo, desde que eu era pré-adolescente sou maluca pela banda, e estou contando os dias com muita ansiedade.
Vou contar pra vocês o decorrer dessa jornada e tal, contar como vou me sentir quando os dias forem se aproximando, como vou me sentir no show, depois do show e coisas do tipo.
Vou começar contando que: Já comprei o ingresso e paguei a excursão, que custaram 300 reais ao todo, ingresso vip com excursão de busão... achei barato e tal, tem shows por ai que é bem mais caro, mas mesmo assim... é grana. O show vai ser no sambódromo de São Paulo e imagino que será um dos melhores dias da minha vida.

Wake me up when september ends!

terça-feira, 20 de julho de 2010

O nó na garganta é constante, dizem que é coisa de canceriano, sabe... mas eu não acredito muito nessas coisas, conheço cancerianos que tem o dobro da minha "força" emocional ou que sabem lidar muito bem com os sentimentos, já eu... desabo a chorar por qualquer motivo, ou seguro e me despedaço por dentro.
Na real eu nem sei de onde vem tudo isso, talvez seja coisa de gente solitária, tem horas que eu fico olhando pra parede contando o tanto de furos de pregos que tem, me falaram uma coisa uma vez e eu concordo, gente solitária é uma merda. Tenho vontade de mudar o mundo, ser uma Dom Quixote, ou qualquer coisa do tipo... mas não sei fazer nada além de escrever textos sem graça.
Sim, eu já pensei em fazer terapias e esse tipo de coisas, mas não pagaria um real pra contar dos meu problemas pro outros, posso fazer isso aqui sem gastar dinheiro e sem ter que olhar pra cara de indiferença das pessoas enquanto leem meu texto. Sou maluca, mas nem tanto.
Essa semana descobri que quando você quer MUITO uma coisa, nunca da certo, então vou simplesmente parar de me preocupar, parar de me iludir e deixar as coisas virem com a maior naturalidade possível, aliás, almejar as coisas é muito cansativo e chato, as vezes chega a ser tão cansativo que da vontade de se matar.
O problema é que tem dias que eu não consigo evitar, e vou dormir pensando em coisas que é melhor nem comentar, sabe. É que me faz tanta falta.

Cuida de mim enquanto não esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

terça-feira, 13 de julho de 2010

Querida amor;

Oi amor, lembra dos nossos anos juntos? Lembra quando nos chamávamos de amor? Hoje nem lembro mais seu nome, se é que algum dia você já teve um, pois, realmente só lembro de te chamar de amor. Agora já fazem alguns anos que terminamos nossa relação, chegaram a falar que foi Deus que nos juntou, da para acreditar? Eu gostava de estar com você, sabe. Mas, odiava ter que me depilar só para você ficar contente, ou então ter que pagar de bom moço só para a velha coroca da sua avó me respeitar! Eu passava gel no cabelo quando íamos na casa dela comer aquela lasanha com gosto de naftalina, mas o gel não adiantava nada, pois, depois do almoço, quando estavam todos jogados nas camas com a pança cheia, você me puxava vorazmente para o banheiro, erguia a saia e tudo acontecia ali mesmo, nem o gel de "extra-mega-forte fixação" dava jeito nas suas puxadas de cabelo.

Hoje, você faz isso com o teu ex-avô, o Fabiano, garoto esperto, ficou com a velha só pela herança, além de ter sorte pela herança, tem sorte porque agora quem faz a lasanha é a sua mãe.


Me mato pra não morrer.

Falar é muito fácil, quero ver você colocar na prática, meu bem! Cansei desse joguinho sujo, em que as pessoas fazem força para serem diferentes sendo que na verdade são todas uma grande merda, cheias de nada. Diz que quer salvar o mundo e que realmente se importa com o próximo, sendo que quando se junta com a "thurminha" só sabe falar merda, falar dos defeitos alheios e se gabar. Pensa que a própria idéia é a unica e esse tipo de coisa que todo mundo já sabe.
Você serviu apenas para me ajudar a abrir os olhos, cansei dessa sujeira. Quando você descobrir o que é valor de verdade as pessoas ao seu redor já estarão bem longe.
Descobri a técnica dos 10 segundos, respirar, abstrair...
Deixei de você, mesmo depois de tanto tempo eu ter pensado que era amor!
Minha religião é essa agora, eu amo, amo de verdade, mas não sou cega.


Pra dilatarmos a alma
Temos que nos desfazer
Pra nos tornarmos imortais
A gente tem que aprender a morrer
Com tudo aquilo que fomos
E tudo aquilo que somos nós

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Amor dará e receberá.

Algumas coisas são mágicas e dentre elas está você, que convence com o olhar e que abriga um ser só com um abraço, que transmite alegria apenas com as batidas do coração que ouço quando repouso em seus braços, a paz é intensa quando sinto seus dedos tocando os meus, quando ouço sua respiração mansa. Posso não ser prioridade na sua vida, mas o que me faz seguir é saber que eu não tenho você, tenho apenas seu amor, caminhando ao meu lado. Desse jeito mesmo, não é utopia e nem poderia ser, pois, o que se sente na carne e no osso não é nem o começo. Talvez não te terei eternamente, mas o segundo vale bem mais que o milênio. Sem ser sua, meu amor será teu, e o ser será nós.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

ONGs promovem abaixo assinado em prol dos animais

A primeira delegacia de proteção animal do estado de São Paulo surgiu em Campinas e agora é a vez da capital ter uma unidade policial especializada em fazer cumprir as leis existentes em favor dos animais. A iniciativa é do Clube dos Vira-latas e já conta com o apoio do deputado Celso Giglio que encaminhou um pedido oficial ao Governador. Até o dia 30/julho de 2010 a ONG espera registrar 50 mil assinaturas e entregar em mãos ao governador do estado de São Paulo em exercício Alberto Goldman, que está substituindo José Serra por conta da candidatura do mesmo à presidência da república. Acesse e assine: www.cao.com.br

O mundo particular de uma criança, parte 3.

Moro em uma cidade relativamente pequena, onde todo mundo conhece todo mundo, onde existem festas populares e coisas do gênero. E quando eu era mais nova, era em uma dessas festas que eu me esbaldava. Era bem nessa época que acontecia a popular festa de São joão do colégio São Vicente, e eu, que não era boba nem nada, adorava!
Em todo ano, meu tio, acordava mais cedo, se vestia e ia buscar o melhor pedaço de carne e um pote cheio daquela maionese caseira, que eles vendiam para o almoço. Eu gulosa como sempre, comia até me faltar ar, tirava uma soneca depois do almoço e descansava para mais tarde ir passear na festa.
Quando o sol começava a baixar, saímos a família inteira. Nessa festa, é popular a fogueira gigante e o show de fogos de artifício, eu não via a hora de começar! O céu ficava tão colorido que eu chegava a me emocionar, alegria de criança, sabe? Sempre tinha medo de cair faíscas em mim, parecia que as fagulhas coloridas encostavam no meu nariz e sumiam no susto. A noite acabava e eu não via a hora de chegar a próxima festa de São João.



*Hoje em dia eu não vou mais na festa, acho um saco ficar aguentando as pessoas me acotovelando e pisando no meu pé. Odeio o fato de não ser mais criança.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Sentimentos jogados.

Me emocionei fazendo um depoimento para um grande amigo, gostei tanto que vou até dividi-lo com vocês.


Tenho vontade de falar tudo que eu sinto por você, querido Paulo, mas não tenho certeza de que vou encontrar as palavras certas para definir nossa amizade. Foram-se anos, uns mais intensos, outros meio apagados, mas sem nada para reclamar, pois, quando pensava que tudo tinha se acabado, lá chegava você com seu loser movel pra mostrar que algumas amizades são SIM eternas. Quem sabe uma tarde quente de carnaval, um banho de piscina ou até mesmo uma noite comendo chocolate e falando sobre a vida, você me buscava na escola e eu me despedaçava contando sobre amores que não deram certo, coitado de você, só agora fui perceber como éramos tolos, um sempre apaixonado pelo amigo do outro, que sabe não seja por isso que nossa amizade foi tão verdadeira, dois coraçõezinhos sentimentalóides precisando de um ombro REALMENTE amigo para desabafar. Agora, eis eu aqui, e lhe juro, amizade verdadeira aconteça o que acontecer, meu caro.


* Desculpa pela foto, só tinha essa.

quinta-feira, 1 de julho de 2010


As duas últimas semanas estavam um porre e pelo que me parece vai continuar assim, em movimento retilíneo, ainda mais que a próxima semana terá provas e mais provas. Tem alguns momentos que parece que minha cabeça vai explodir de repente. Eu me acalmo... conto... 1, 2 , 3, 4... não passa. Hoje, parece que os finais de semana são cada vez mais curtos, não posso me esquecer que os anos e que o lado bom da vida logo acaba, também. Quando eu perceber as rugas já vão ter chegado.
Sei lá, preciso de férias, parar de pensar na parte ruim da vida, sair daqui.
O lado bom disso, é que pelo menos eu tenho algo a mais para colocar no blog, sabe... sem falar de amor ou coisa que valha.

Quero pular, dançar, correr, dormir, comer, sorrir, cantar, sem pensar.
De qualquer forma, quem quer me tirar daqui?